Euros: quanto e como

Portugal Viagem

Ao final da viagem perguntei no Stories do Instagram se as dicas dessa viagem interessavam a vocês. Aproveitei para perguntar qual assunto era obrigatório. A pergunta campeã isolada foi: QUANTO DINHEIRO DEVO LEVAR? Seguida por: levo tudo em Euro? Posso levar em dólar? Troco tudo ou passo cartão?

A primeira coisa que nós precisamos combinar para começar nossa conversa é que isso é MUITO pessoal, então, a resposta pra todas essas perguntas é DEPENDE. Mas depende de que? Do seu perfil de consumo, dos seus planos de viagem e, principalmente, de quanto dinheiro você tem! Porque todos sabemos que querer, queremos o mundo, parece até óbvio, mas, é essencialmente disso que dependem as respostas. De que adianta um blog de viagem me dizer que preciso considerar 50 euros por dia para alimentação e eu não ter tudo isso? Entende? E a maior vantagem de Portugal é que alimentação, por exemplo, cabe em todos os bolsos. Já cata essa dica.

Assim combinados, podemos seguir para a próxima questão. Se você tem pouca grana pra ir, planeje! Escolha com critério todos os passeios que quer fazer, pesquise o que realmente vale a pena. Tem sites que fazem isso maravilhosamente bem, é só ter um pouquinho de paciência e curiosidade. Dessa forma, você vai conseguir estimar mais ou menos quanto vai gastar. A maioria dos passeios, museus, palácios têm sites com os valores e até mesmo promoções especiais. Visite e vá anotando direitinho.

Levo tudo em Euro? Minha melhor experiência foi trocar todo o dinheiro que eu tinha para a viagem e levar em espécie. Com isso, consegui melhores taxas de câmbio e consegui controlar melhor o dinheiro. Além disso, MUITOS RESTAURANTES NÃO ACEITAM CARTÃO. Parece bizarro porque aqui até o pipoqueiro passa cartão, mas é verdade. Lá eles chamam de MultiBanco. Procure os selinhos MB nas portas ou pergunte se aceitam MultiBanco antes mesmo de sentar. Essa dica é especialmente valiosa, hein?

Eu evito a todo custo usar cartão de crédito, a barra de segurar a fatura com IOF depois eu não seguro. Então, levo o cartão apenas para fazer reservas de hospedagem, às vezes pra uma passagem de comboio antecipada... Essas coisas que resolvemos online. Sem cartão é difícil organizar isso.

Mas e o dólar? Se você tiver dólares e pretender gastar uma graninha no Freeshop, por que não? Do contrário, leve Euros. Alguns hotéis aceitam dólares, mas eu sou super desconfiada com o câmbio de comércio e serviços, não sei você.

Acho que consegui resumir mais ou menos o que realmente importa, porque tem coisa mais individual que viagem? Nessa última, fui em dois restaurantes indicados e detestei! Muita falta de sorte estarem muito cheios e com atendimento prejudicado. Então, eu tento não te dar dicas muito específicas. Se você tiver um perfil parecido com o meu, vai amar descobrir os cantinhos mais inesperados e o tanto de coisa bacana que vai acontecendo nessas descobertas.


Postagem anterior Postagem seguinte


Deixe um comentário